Home História
O Albatroz
O padre e o paraquedista Imprimir E-mail
Escrito por Franco G. Rovedo   
Dom, 26 de Junho de 2016 22:37

Em 20 de abril de 2008, Adelir Antônio de Carli, 41 anos, o padre voador, partiu de Paranaguá-PR para tentar bater o recorde de permanência em voo sustentado por balões de gás hélio.

A façanha já havia sido tentada antes. Em 13 de janeiro do mesmo ano, partindo de Ampére-PR, a expedição terminou 4 horas e 15 minutos depois a 110 quilômetros do ponto de partida. Já sobre a Argentina, o padre iniciou o pouso meticulosamente preparado, estourando as bexigas com um estilete especial para

0 comentários

Continua...
 
O velhinho de barba branca Imprimir E-mail
Escrito por Franco G. Rovedo   
Sáb, 11 de Junho de 2016 20:41

O agnóstico não tem certeza da existência de Deus, mas não hesita em chamá-lo no caso de uma emergência. Foi o que aconteceu com este veterano paraquedista do exército.

O primeiro campeão brasileiro de paraquedismo, Luiz Schirmer, abusou da sorte que tanto lhe sorriu pelos seus 72 anos, à época. O evento ocorreu na cidade de Governador Celso Ramos, Santa Catarina em 2011. O salto deveria ser apenas uma simples demonstração e uma oportunidade de voar junto de outro amigo e também experiente paraquedista, José Casimiro “Sócio” Rosa, um Albatroz do Aeroclube do Paraná.

Os dois atletas embarcaram no helicóptero Robinson 44 e realizariam

0 comentários

Continua...
 
Sky Riders anos 80 Imprimir E-mail
Escrito por Franco G. Rovedo   
Sex, 22 de Agosto de 2014 19:56

Após muitos anos, a turma que praticava paraquedismo se reuniu em uma festa homenageando as décadas em que nos atirávamos em queda livre e aterrávamos entre amigos e amores.

Ainda bem que os anos 70 e 80 foram muito ricos em canções empolgantes. A tecnologia atual fez com que pudéssemos assistir as imagens dos artistas enquanto cantavam e dançavam em clipes que, antigamente, só assistiríamos muito tempo depois na TV.

Os organizadores foram caprichosos e perfeccionistas na decoração e preparativos. Acho que é coisa de paraquedista que tem este costume para garantir sua sobrevivência. Estava tudo perfeito. Perucas Black Power, medalhões

1 comentários

Continua...
 
O DQX e seus Albatrozes Imprimir E-mail
Escrito por Franco G. Rovedo   
Qua, 15 de Outubro de 2014 11:48

A história do velho PP-DQX começou bem antes do Ulisses em Boituva. Comprado pelo Aeroclube do Paraná, em 1974, o Cessna 190 foi logo requisitado para uso da equipe Albatroz de paraquedismo, já que seu potente motor radial de 245 HP, acelerava também o processo de treinamento dos atletas.

Em seu primeiro voo de lançamento, o piloto designado foi o querido amigo Odair Cordeiro. Experiente em diversos aviões com trem de pouso convencional, exímio piloto de acrobacias com o PT-19 e lançador de confiança dos paraquedistas, foi o escolhido também por ser parnanguara e conhecer bem a região dos saltos que aconteceriam naquele final de semana.

Enquanto uma parte da equipe foi por terra para o litoral do Paraná, outros 3 atletas embarcaram equipados, planejando saltar sobre o campo de aviação de Paranaguá e aproveitar o translado. O plano do trio de velhos amigos era muito bonito. Mário "Meio-quilo", Casimiro "Sócio" e "Selva" imaginaram sair do avião a 6 mil pés e fazer alguma formação de trabalho relativo antes de comandar os seus modernos Papillon ovais.

O plano começou a ir por água abaixo antes de chegar à Serra do Mar. A camada de nuvens estava baixando rapidamente, de modo que Odair teve que voar baixo seguindo a estrada. As condições do tempo mudavam cada vez mais rápido e a turbulência já incomodava bastante os três paraquedistas sentados no piso da aeronave. Assim que a serra ficou para trás, também

5 comentários

Continua...
 
Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Ter, 30 de Julho de 2013 22:29
2º Insano São Chico

Meus Amigos,

Eu tive o tremendo prazer participar do 2º Insano, em São Francisco.

Realizei dois saltos. O primeiro aconteceu no ultimo dia de 2012, com o Rodock e o Luciano da Skydive Resende. Um lindo salto, com diversas formações em queda livre, mas infelizmente as imagens não ficaram boas e não pude aproveita-las neste vídeo. Ao Rodock e ao Luciano o meu muito obrigado. Breve saltaremos juntos novamente!

No dia 4 pedi para o nosso caçula, o Izaac, alguns nomes para fazermos uma estrela de 9 pontas. De imediato ele me entregou uma lista e eu passei para o Sabiá que prontamente a aprovou e logo fomos para o briefing e embarcamos para o salto. Fechamos uma estrela em 8 pontas. O Caveirinha saiu da formação subindo para filmar e na sequência engrenou um espetacular mergulho (que estava programado) entre eu e o Sabiá.

Aos irmãos Izaac e Pedro, ao Sabiá, Felipe, Robson, Alysson, Arno e Thiago, o meu muito obrigado por participarem deste "meu recorde". Não é sempre que temos a oportunidade de dar as mãos em queda livre para três ou mais gerações de paraquedistas.

Aos Campeões Mário 1/2 Quilo e Marcelo Ricci, muito obrigado pela atenção e apoio que me deram naqueles dias.

Céu azul, ótimos pousos e um "grande abração" para todos.

Casimiro (1969)
cbpq 235e



2 comentários
 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 2 de 19