Home As mais lidas
Imprimir E-mail
Escrito por Administrador   
Qua, 28 de Dezembro de 2005 07:03

Era o começo de julho de 1971. Ansiosos mas cheios de esperanças, nossos atletas se preparavam para enfrentar o VII Campeonato Brasileiro, em Resende. Mal sabiam que voltariam vitoriosos, com a primeira Campeã Brasileira de pára-quedismo.

A foto que ilustra esta matéria mostra bem como era a presença da Rose. Ela, sempre no centro, e os demais, extasiados pela sua alegria e beleza, em volta, refletindo o seu sorriso.

OS PÁRA-QUEDISTAS

Arquivo da Noemi Legenda da foto: Pára-quedistas paranaenses estão de ôlho no título nacional. A equipe já está preparada e vai ao Rio de Janeiro disputar o VII Campeonato Brasileiro. Entre êles uma mulher - Rosemari - que já deu 66 saltos.

EQUIPE DE PARAQUEDISTAS DO PR DISPUTA TÍTULO NACIONAL

A equipe de Departamento de Paraquedismo "Albatroz" do Aeroclube paranaense vai ao Rio de Janeiro dia 14 próximo, com esperanças de trazer ao Paraná uma "ótima classificação". Em número de oito, a delegação será chefiada pelo Coronel Hélio Bahia Corradini. Todos estão de olho no título brasileiro de campeão em duas provas: precisão individual o precisão em grupo.

A disputa será travada por ocasião do VII Campeonato Brasileiro de Paraquedismo, que será realizado na cidade de Rezende (Rio de Janeiro) de 17 a 25 de julho. Ali estarão presentes representantes do paraquedismo de todo o País, que aproveitarão para trocar experiências e discutir problemas.

A DELEGAÇÃO

A delegação do Paraná será composta de seis atletas, entre os quais a jovem Rosemari dos Santos, que está com 69 saltos realizados e disputará a prova feminina de precisão. Os demais atletas são: Walter Augusto da Silva, Edson Talamini, Niquelson Rodrigues dos Santos, Isaul de Camargo, Francisco Bertomeu. O grupo tem ainda, além do Coronel Hélio Bahia mais o jovem e juiz Sérgio Kirdziej.

TREINAMENTO

Os atletas da equipe paranaense vêm treinando há vários meses, embora Niquelson dos Santos, observe que as dificuldades são diversas devido o clima de Curitiba, que não é propício. Outros problemas ainda afetam a equipe de paraquedismo, tais como o financeiro, "decorrente das grandes despesas que o paraquedismo acarreta para bem treinar", objetivando uma competição. O Govêrno cedeu-lhes um avião Cessna 180 para realizar os saltos e transportar a equipe.

AS PROVAS

Os saltos para a prova de precisão realizados a mil metros de altura e a prova de estilo a dois mil metros. Nesta o atleta realiza seis figuras antes de abrir o seu para-quedas e faz uma queda livre de 1.300 metros.

Comentários

Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar o comentário