Home As mais lidas
Imprimir E-mail
Escrito por Administrador   
Dom, 14 de Novembro de 2004 11:56

A FEPAR no Caderno de Esportes da Gazeta do Povo, de Curitiba, em 30 de novembro de 1996.

O reporter diz alguma coisa sobre saltar do vão principal da Ponte da Amizade e pousar no leito do Rio Paraná. Deve ser uma história fantástica! Se alguém sabe mais, por favor conte-nos.

Pára-quedismo está em ascensão

Arquivo do Casimiro Nos últimos eventos realizados no Paraná em outubro e novembro - lançamento dos jogos Mundiais da Natureza em Foz do iguaçu, inauguração da pista de atletismo do projeto Vila Olímpica no estádio Pinheirão, abertura do Campeonato Brasileiro de Arrancada no autódromo de Pinhais e outras solenidades - o pára-quedismo se constituiu em uma atração a mais, atraindo a atenção do público para este esporte.

Saltando de um Sêneca a três mil metros de altitude e pousando extamente no local de largada da competição dos dragsters no Autódromo Internacional de Curitiba ou saltando abaixo do vão principcal da Ponte da Amizade e pousando no leito do Rio Paraná, pára-quedistas paranaenses deixaram o público impressionado com a beleza do espetáculo.

De acordo com o secretário-geral da federação Paranaense de Pára-quedismo, Jorge Derviche, grandes nomes vêm surgindo neste esporte, como Vicente Bordin. Nascido em Foz do Iguaçu e praticando saltos há apenas dois anos, Vicente já realizou mais de 300 saltos, o que signfica um salto a cada dis dias. Bordin é instrutor "jump master" da Confederação Brasileira e dá cursos em toda a região oeste do estado e tem sido convidado a participara de eventos nas mais importantes áreas de salto do Brasil - Boituva-SP, Resende-RJ e Ponta Grossa. Participou recentemente da copa Mundial de Pára-quedismo da Bélgica e é considerado hoje um dos atletas mais promissores do Brasil.

Hegemonia

O pára-quedismo paranaense teve o seu agude há dez anos, com uma equipe que colecionava títulos e detinha a hegemonia dentro do cenário nacional. Em 87, Foz do iguaçu chegou a sediar um campeonato mundial da modalidade. O grupo de paranaenses, formado por José Alfredo Stratman, Joe Araujo, Rogério Caggiano e Jorge Derviche, em evidência, viajava com freqüencia para o México, Colômbia, Bolívia e Paraguai, obtendo sempre boas classificações em campeonatos panamericanos.

O lançamento dos Jogos Mundiais da Natureza, que acontecerão em setembro de 97 na Costa Oeste paranaense, darão um novo impulso ao pára-quedismo. "O esporte está em franca ascensão em todo o Brasil, em particular no Paraná. A inclusão do pára-quedismo entre as modalidades que farão parte do evento que está sendo promovido pelo governo do Paraná e que vai reunir atletas do mundo inteiro na região, significará uma nova etapa consolidação para o esporte", garante Derviche.

Atualmente, a Fepar conta com 12 clubes filiados e 280 atletas cadastrados atuantes. Existem duas equipes formadas: uma de demonstração e outra de competição.

 

 

 

Comentários

avatar JOTA DERVICHE
+2
 
 
O salto "sob" a Ponte da Amizade realizado em 1996 a o qual o reporter se refere trata-se na verdade de um salto realizado pelo atleta de Foz do Iguaçu, Vicente Bordin, que saltou de uma altura normal, (3.500 pés) e durante a navegação passou sob o vão central daquela ponte, indo pousar com segurança no leito do Rio Paraná, onde uma lancha de appio o esperava. foi em comemoração ao "Dia da Água". Feito memorável e nunca mais repetido. Infelizmente hoje o Vicente não pratica mais paraquedismo, mas foi um grande incentivador no esporte naquela região.
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar o comentário
Cancelar
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar o comentário