Home As mais lidas
O Regimento Interno do Albatroz Imprimir E-mail
Escrito por Administrador   
Sex, 19 de Outubro de 2007 16:30

A história do Albatroz está guardada na memória e no coração de cada um de nós, os que a fizemos. Não se tem conhecimento, até hoje, de qualquer registro escrito feito com a finalidade específica de preservá-la. Nós já dissemos aqui no site (Um sonho nada modesto) que os velhos Albatrozes hoje já são cinquentões, sessentões ou mais (não é mesmo, meu querido Schirmer?), e se não registrarmos agora o que sabemos e sentimos, talvez a verdadeira história do Departamento de Pára-quedismo Albatroz, do Aeroclube do Paraná, acabe se perdendo. Foram feitas muitas fotografias, mas, apesar de se dizer que uma imagem vale mais do que mil palavras, certamente essas fotografias valerão muito mais se forem acompanhadas de algumas palavras de quem viveu a cena, de quem esteve lá. Imagine-se sentado na sala da sua casa com um álbum de fotografias nas mãos contando ou ouvindo os "causos" a cada foto que vê. Pois é, foi pensando assim que há 3 anos, em outubro de 2004, lançamos este site. O Albatroz estava completando 37 anos.

Assim como as fotos, existem muitas outras coisas que nos trazem recordações. É emocionante manusear documentos antigos. Há algum tempo eu estava reunindo documentos para requerer o reconhecimento da minha cidadania italiana e acabei tendo nas mãos o original do registro de casamento dos meus avós paternos. Naquela hora eu viajei para 1909 e me senti ali no cartório testemunhando o casamento. Alguns nos têm confiado seus documentos antigos para que sejam reunidos em acervo, outros nos enviam cópias, e ainda outros têm garimpado e enviado algumas relíquias. Somos gratos pela sua confiança e reafirmamos que qualquer matéria que recebermos será tratada com o respeito que se deve ao autor (Direito do Autor).

Recentemente eu recebi do Meio Quilo (Mario Albano Malschitzky) uma cópia da ata da reunião do Aeroclube na qual foi apresentado o Regimento Interno do Albatroz. Não só o Regimento, mas a ata toda é um documento que nos traz muita recordação e ajuda aqueles que não estavam lá a imaginarem o cenário em que nasceu o Clube.

Nós temos procurado reproduzir fielmente os documentos que recebemos, inclusive os erros encontrados nos originais. Esses erros somados com os nossos acabam dando um monte deles. Mas na transcrição a seguir certamente não haverá muitos, só os nossos, pois o original foi manuscrito pelo Professor Bahia, o 2º Secretário do Aeroclube na época.

Veja a ata completa:  (ou só o Regimento)

Ata da vigésima nona reunião, realizada em doze de junho de mil novecentos e sessenta e oito, à qual compareceram: 2º secretário, 1º tesoureiro, 2º tesoureiro, diretor técnico e diretor de volovelismo. Tendo assumido a direção dos trabalhos o 2º secretário, iniciou-se o expediente com o exame da correspondência recebida: ofs circ.. dos aeroclubes de Pindamonhangaba, de Volta Redonda e de Erechim, comunicando eleição e posse de diretorias; mems. 413/452/428/425/446, remetendo certificados, digo, licenças de pilôtos privados e de mecânico; mems 448, 450 e 442, deferindo ingresso na Escola de Pilotagem dêste aeroclube do 2º ten. da Polícia Militar, Luiz Neto Castanho, do 1º ten. da Polícia Militar, Valdeci Chalegre dos Santos e do 1S da Aeronáutica, Décio Ribeiro Maia, todos os memorandos referidos são provenientes da DAC; mems. 475, 480, e 519 do chefe da seção de aeronautas, determinando cumprimento de exigências para a expedição das licenças de pilôto privado de Edgar Felipe Dutra Pimentel, Edson Tetto e revalidação da licença de pilôto comercial de Hamilton Portella; mem circ 93/G-DC-4 do Diretor da Divisão Aerodesportiva, sobre subvenções em 1968; ofs s/n da Fundepar, do Clube Concórdia e nº 48 da Assembléia Geral Legislativa do Estado do Paraná e nº 437 do Departamento Estadual do Serviço Público do Estado do Paraná, agradecendo convite para assistir às cerimônias de abertura do Vº Campeonato Brasileiro de Pára-quedismo.

Com a palavra o diretor-técnico, expôs os motivos que o impossibilitarão de dar maior assistência técnica ao clube, e propôs que o sgtº Pereira fosse convidado a assessorá-lo nesse mister, tendo os presentes concordado com a medida. Ficou estabelecido que o instrutor José Galvão Seixas passará a ser o responsável pela disciplina funcional dos empregados do clube, na qualidade de representante direto da diretoria. A partir desta data é restabelecido o livro-ponto para todos os funcionários do clube. Por proposta do diretor de volovelismo, aprovada por unanimidade fica estabelecido que a aeronave Fleet PP-REJ sòmente poderá sair para viagem de navegação, mediante autorização emanada de reunião de diretoria. Foi aprovada por unanimidade a concessão de uma bôlsa de estudos para o curso de pilotagem, anteriormente proposta pelo Sr. Presidente do Aero Clube, ao Sr. Renato Mazanek em sinal de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados no setor de divulgação do Vº Campeonato Brasileiro de Pára-quedismo. O 2º secretário comunicou a reestruturação a que foi submetido o departamento de pára-quedismo Albatroz que passrá a ser dirigido pelo seguinte conselho diretor: diretor-geral, Hélio Bahia Corradini, diretor-administrativo, Eloy diretor-financeiro, Francisco Manoel Pereira Boscardim, diretor técnico, Niquelson Rodrigues dos Santos e diretor de promoções, Renato Mazanek. Pelo Albatroz foi apresentado o Sr. Francisco Manoel Pereira Boscardim, que será o diretor de pára-quedismo junto à diretoria do Aero Clube. Com a palavra o diretor de pára-quedismo apresentou o Regimento Interno do "Albatroz" para aprovação pela diretoria do Aero Clube, o qual vai aqui transcrito. "Aero Clube do Paraná Departamento de Pára-quedismo "Albatroz" Regimento Interno aprovado pelos membros pára-quedistas em reunião realizada em 1º de junho de 1968. O Departamento de Pára-quedismo "Albatroz" do Aero Clube do Paraná, criado em reunião da Diretoria em vinte e oito de outubro de mil novecentos e sessenta e sete, reger-se-á pelo seguinte regimento interno. Capítulo I. Dos fins Art. 1º O Departamento de Pára-quedismo Albatroz obediente aos Estatutos do Aero Clube do Paraná e sob jurisdição da União Brasileira de Pára-quedismo, tem por fins principais os seguintes: a) Dirigir, difundir e incentivar, no Aero Clube do Paraná, o pára-quedismo civil e desportivo; b) Estimular o desenvolvimento do pára-quedismo desportivo, utilitário (socorro, salvamento, salva-vidas) e de pesquisa; c) Representar o Aero Clube do Paraná em campeonatos e torneios de pára-quedismo; d) cumprir e fazer cumprir as normas e regulamentos do A. C. P. e U. B. P., a que é filiado, assim como os atos legalmente expedidos pelos orgãos ou autoridades que integram os podêres públicos; e)Expedir a seus membros, normas, regulamentos, códigos, regimentos avisos, circulares, instruções e outros atos necessários à organização, ao funcionamento e à disciplina da prática do pára-quedismo no Aero Clube do Paraná; f)Punir os membros que deixarem de observar qualquer dos instrumentos regimentais da alínea anterior; g) Decidir quais os seus membros, e quando, poderão participar de provas desportivas ou de apresentações de saltos; Capítulo II. Da Organização Art. 2º O Departamento de Pára-quedismo Albatroz, reune todos os associados do Aero Clube do Paraná que praticam pára-quedismo civil, e a êle se vincule através de prposta própria. §1º Todos os associados compreendidos na definição deste artigo, estão sujeitos às disposições dêste regimento interno, são considerados membros §2º Os direitos e os deveres dos membros são os constantes do presente Regimento Interno, além do que constar nos Estatutos do Aero Clube do Paraná. Capítulo III. Dos poderes Internos Art. 3º O poder Interno do Departamento de Pára-quedismo Albatroz é representado pelo "Conselho Diretor". §1º O Conselho Diretor será composto de cinco (5) membros pára-quedistas escolhidos pelos membros do Departamento e referendados pela Diretoria do Aero Clube do Paraná; §2º O Conselho Diretor reunir-se-á semanalmente em dia anterior ao da Diretoria do A. C. P. com o comparecimento obrigatório de, no mínimo, três de seus Diretores; Art. 4º A fim de melhor cumprir as suas atribuições, o Conselho Diretor será constituído das seguintes diretorias: a) Diretoria Geral b) Diretoria de Administração c) Diretoria de Finanças d) Diretoria Técnica e) Diretoria de Promoções §1º Cada Diretoria disporá de subdiretores designados pelo Conselho Diretor mediante indicação da respectiva Diretoria. §2º Nenhuma despesa será repassada à revelia do Diretor de Finanças e sem que o respectivo pagamento se sujeite à aprovação do Conselho Diretor. Art. 5º Compete ao Conselho Diretor: a) Função executiva na administração do Departamento de Pára-quedismo Albatroz; b) Adotar qualquer medida julgada... ...à ordem ou aos interêsses do Albatroz, inclusive casos omissos ou urgentes que sujeitarem êste Regimento Interno, a controvérsias de interpretação; c) Programar, supervisionar, coordenar, dirigir e fiscalizar as ativi8dades do D. P. Albatroz d) Apresentar à Diretoria do ACP, mensalmente, ou quando solicitados, relatórios circunstanciados da administração no exercício e o movimento econômico-financeiro e orçamentário; e) Cumprir e fazer cumprir por seus membros, os estatutos do ACP e da UBF f) Nomear ou dispensar os subdiretores, designar seus assistentes privados e os componentes das Comissões que constituir; g) Elaborar o regimento de custos e taxas e alterálo quando oportuno; h) Constituir Delegações incumbidas da representação do Departamento, dentro ou fora do Estado; i) Guardar e conservar os bens móveis do D. P. Albatroz, ou alienar e constituir direitos reais sôbre bens por êle adquiridos; j) Aplicar ou rever penalidades que tenha impôsto a membros infratores; l) Expedir avisos de cumprimento obrigatório, aos membros, sem disposições incompatíveis com o texto deste Regimento; m) Exercer qualquer função executiva que não tenha sido explícitamente prevista neste Regimento; n) Receber doações para o D. P. Albatroz, em ato homologado pela diretoria do ACP; d) Decidir sôbre modelos de emblemas, dísticos e uniformes a serem adotados. Art. 6º Á Diretoria Geral compete: a) Representar o D. P. Albatroz junto à Diretoria do ACP; b) Autenticar os livros do D. A.; c)Assinar títulos, cheques recibos ou quaisquer outros documentos que constituam obrigações financeiras, em conjunto com a Diretoria de Finanças; d) Autorizar publicidade dos atos originários do Conselho Diretor; e) Presidir o Conselho Diretor. Art. 7º Á Diretoria Administrativa compete: a) Incumbir-se da expedição e recebimento da correspondência do D. P. Albatroz; b) Organizar serviços de Comunicação, Documentação e Arquivos; c) Dirigir e fiscalizar os serviços burocráticos; d) Administrar o pessoal e a economia do material; e) Preparar os atos da administração e a organização dos assuntos sujeitos ao pronunciamento do Conselho; f) Encaminhar e solucionar os interêsses do Departamento junto ao podêres e orgãos públicos ou quaisquer outras instituições; g) Desempenhar tôdas as atividades auxiliares indispensáveis à execução dos serviços gerais do Departamento. Art. 8º À Diretoria das Finanças compete: a) Desempenhar os encargos financeiros e econômicos do D. P. Albatroz; b) Organizar os documentos destinados a instruir o levantamento do balanço e da conta de lucros e perdas; c) Exercer contrôle administrativo das despesas e receitas; d) Fiscalizar a Contabilidade e a Tesouraria; e) Executar os atos que influenciarem o patrimônio, as finanças e o orçamento; f) Incumbir-se dos serviços inerentes à administração financeira do Departamento. Art. 9º À Diretoria de Promoções compete: a) Coordenar a publicidade; b) Exercer atividades de relações públicas; c) Solucionar os interêsses do Departamento junto a outras instituições, colaborando com a Diretoria de Administração; d) Promover e organizar torneios, campeonatos e demonstrações em conjunto com a Diretoria Técnica. Art 10º À Diretoria Técnica compete: a) Controlar, distribuir e recolher o material utilizado pelos membros; b) Vistoriar periodicamente o equipamento de salto; c) Controlar e coordenar a manutenção do material utilizado pelos membros; d) Elaborar e controlar o cumprimento dos roteiros dos cursos de formação de pára-quedistas, depois de aprovado pelo Consêlho Diretor; e) Atender a cursos de aperfeiçoamento e especialização; f) Pesquisar e desenvolver assuntos relativos ao pára-quedismo; g) Expedir á Diretoria Técnica da UBP, solicitação de ... em pára-quedas; h) Coordenar e executar as ordens de trabalho expedidas pela Diretoria Técnica da UBP; i) A representação técnica do Departamento; j) A organização técnica dos torneios, campeonatos e demonstrações. § Único O Diretor Técnico deve ser sempre um monitor e, na falta dêste, um pára-quedista em atividade. Capítulo III. Das Disposições Gerais e Transitórias. Art. 11º As sansões disciplinares são as postas nos estatutos do ACP e aplicadas pelo Consêlho Diretor do D. P. Albatroz, cabendo recurso à Diretoria do ACP. Art. 12º O mandato do Consêlho Diretor de D. P. Albatroz coincidirá com o mandato dos membros da Diretoria do ACP; Art. 13º Os casos omissos no presente Regimento Interno, serão resolvidos pelo Consêlho ... ... entrará em vigor na data de sua aprovação pela Diretoria do Aero Clube do Paraná". Nada mais havendo a tratar, o 2º secretário deu por encerrada a reunião, da qual, para constar, foi lavrada esta ata que vai assinada por mim, 2º secretário e demais diretores presentes. Curitiba, doze de junho de mil novecentos e sessenta e oito. (ass. Hélio Bahia Corradini 2º Sec)
PRESIDENTE: (ass. Eduardo da Silva Ramos)
VICE-PRESIDENTE: (ass. ...)
1º TESOUREIRO: (ass. Luiz Carlos Boscardim)
2º TESOUREIRO:
DIR. TÉCNICO: (ass. Luiz Carlos Zanon)
DIR. PATRIMÔNIO: (ass. ...)
DIR. SOCIAL:
DIR. VOLOVELISMO: (ass. Roberto Lange Jr.)
DIR. PÁRA-QUEDISMO: (ass. Francisco Manoel Pereira Boscardim)

 

Aero Clube do Paraná
Departamento de Pára-quedismo "Albatroz"

Regimento Interno aprovado pelos membros pára-quedistas em reunião realizada em 1º de junho de 1968

O Departamento de Pára-quedismo "Albatroz" do Aero Clube do Paraná, criado em reunião da Diretoria em vinte e oito de outubro de mil novecentos e sessenta e sete, reger-se-á pelo seguinte regimento interno.

Capítulo I. Dos Fins

Art. 1º O Departamento de Pára-quedismo Albatroz obediente aos Estatutos do Aero Clube do Paraná e sob jurisdição da União Brasileira de Pára-quedismo, tem por fins principais os seguintes:

    a) Dirigir, difundir e incentivar, no Aero Clube do Paraná, o pára-quedismo civil e desportivo;
    b) Estimular o desenvolvimento do pára-quedismo desportivo, utilitário (socorro, salvamento, salva-vidas) e de pesquisa;
    c) Representar o Aero Clube do Paraná em campeonatos e torneios de pára-quedismo;
    d) Cumprir e fazer cumprir as normas e regulamentos do A. C. P. e U. B. P., a que é filiado, assim como os atos legalmente expedidos pelos orgãos ou autoridades que integram os podêres públicos;
    e) Expedir a seus membros, normas, regulamentos, códigos, regimentos avisos, circulares, instruções e outros atos necessários à organização, ao funcionamento e à disciplina da prática do pára-quedismo no Aero Clube do Paraná;
    f) Punir os membros que deixarem de observar qualquer dos instrumentos regimentais da alínea anterior;
    g) Decidir quais os seus membros, e quando, poderão participar de provas desportivas ou de apresentações de saltos;

Capítulo II. Da Organização

Art. 2º O Departamento de Pára-quedismo Albatroz, reune todos os associados do Aero Clube do Paraná que praticam pára-quedismo civil, e a êle se vincule através de prposta própria.

    §1º Todos os associados compreendidos na definição deste artigo, estão sujeitos às disposições dêste regimento interno, são considerados membros
    §2º Os direitos e os deveres dos membros são os constantes do presente Regimento Interno, além do que constar nos Estatutos do Aero Clube do Paraná.

Capítulo III. Dos Poderes Internos

Art. 3º O poder Interno do Departamento de Pára-quedismo Albatroz é representado pelo "Conselho Diretor".

    §1º O Conselho Diretor será composto de cinco (5) membros pára-quedistas escolhidos pelos membros do Departamento e referendados pela Diretoria do Aero Clube do Paraná;
    §2º O Conselho Diretor reunir-se-á semanalmente em dia anterior ao da Diretoria do A. C. P. com o comparecimento obrigatório de, no mínimo, três de seus Diretores;

Art. 4º A fim de melhor cumprir as suas atribuições, o Conselho Diretor será constituído das seguintes diretorias:

    1) Diretoria Geral
    2) Diretoria de Administração
    3) Diretoria de Finanças
    4) Diretoria Técnica
    5) Diretoria de Promoções

    §1º Cada Diretoria disporá de subdiretores designados pelo Conselho Diretor mediante indicação da respectiva Diretoria.
    §2º Nenhuma despesa será repassada à revelia do Diretor de Finanças e sem que o respectivo pagamento se sujeite à aprovação do Conselho Diretor.

Art. 5º Compete ao Conselho Diretor:

    a) Função executiva na administração do Departamento de Pára-quedismo Albatroz;
    b) Adotar qualquer medida julgada... ...à ordem ou aos interêsses do Albatroz, inclusive casos omissos ou urgentes que sujeitarem êste Regimento Interno, a controvérsias de interpretação;
    c) Programar, supervisionar, coordenar, dirigir e fiscalizar as atividades do D. P. Albatroz
    d) Apresentar à Diretoria do ACP, mensalmente, ou quando solicitados, relatórios circunstanciados da administração no exercício e o movimento econômico-financeiro e orçamentário;
    e) Cumprir e fazer cumprir por seus membros, os estatutos do ACP e da UBF
    f) Nomear ou dispensar os subdiretores, designar seus assistentes privados e os componentes das Comissões que constituir;
    g) Elaborar o regimento de custos e taxas e alterálo quando oportuno;
    h) Constituir Delegações incumbidas da representação do Departamento, dentro ou fora do Estado;
    i) Guardar e conservar os bens móveis do D. P. Albatroz, ou alienar e constituir direitos reais sôbre bens por êle adquiridos;
    j) Aplicar ou rever penalidades que tenha impôsto a membros infratores;
    l) Expedir avisos de cumprimento obrigatório, aos membros, sem disposições incompatíveis com o texto deste Regimento;
    m) Exercer qualquer função executiva que não tenha sido explícitamente prevista neste Regimento;
    n) Receber doações para o D. P. Albatroz, em ato homologado pela diretoria do ACP;
    o) Decidir sôbre modelos de emblemas, dísticos e uniformes a serem adotados.

Art. 6º À Diretoria Geral compete:

    a) Representar o D. P. Albatroz junto à Diretoria do ACP;
    b) Autenticar os livros do D. A.;
    c)Assinar títulos, cheques recibos ou quaisquer outros documentos que constituam obrigações financeiras, em conjunto com a Diretoria de Finanças;
    d) Autorizar publicidade dos atos originários do Conselho Diretor;
    e) Presidir o Conselho Diretor.

Art. 7º Á Diretoria Administrativa compete:

    a) Incumbir-se da expedição e recebimento da correspondência do D. P. Albatroz;
    b) Organizar serviços de Comunicação, Documentação e Arquivos;
    c) Dirigir e fiscalizar os serviços burocráticos;
    d) Administrar o pessoal e a economia do material;
    e) Preparar os atos da administração e a organização dos assuntos sujeitos ao pronunciamento do Conselho;
    f) Encaminhar e solucionar os interêsses do Departamento junto ao podêres e orgãos públicos ou quaisquer outras instituições;
    g) Desempenhar tôdas as atividades auxiliares indispensáveis à execução dos serviços gerais do Departamento.

Art. 8º À Diretoria das Finanças compete:

    a) Desempenhar os encargos financeiros e econômicos do D. P. Albatroz;
    b) Organizar os documentos destinados a instruir o levantamento do balanço e da conta de lucros e perdas;
    c) Exercer contrôle administrativo das despesas e receitas;
    d) Fiscalizar a Contabilidade e a Tesouraria;
    e) Executar os atos que influenciarem o patrimônio, as finanças e o orçamento;
    f) Incumbir-se dos serviços inerentes à administração financeira do Departamento.

Art. 9º À Diretoria de Promoções compete:

    a) Coordenar a publicidade;
    b) Exercer atividades de relações públicas;
    c) Solucionar os interêsses do Departamento junto a outras instituições, colaborando com a Diretoria de Administração;
    d) Promover e organizar torneios, campeonatos e demonstrações em conjunto com a Diretoria Técnica.

Art 10º À Diretoria Técnica compete:

    a) Controlar, distribuir e recolher o material utilizado pelos membros;
    b) Vistoriar periodicamente o equipamento de salto;
    c) Controlar e coordenar a manutenção do material utilizado pelos membros;
    d) Elaborar e controlar o cumprimento dos roteiros dos cursos de formação de pára-quedistas, depois de aprovado pelo Consêlho Diretor;
    e) Atender a cursos de aperfeiçoamento e especialização;
    f) Pesquisar e desenvolver assuntos relativos ao pára-quedismo;
    g) Expedir á Diretoria Técnica da UBP, solicitação de ... em pára-quedas;
    h) Coordenar e executar as ordens de trabalho expedidas pela Diretoria Técnica da UBP;
    i) A representação técnica do Departamento;
    j) A organização técnica dos torneios, campeonatos e demonstrações.

    § Único O Diretor Técnico deve ser sempre um monitor e, na falta dêste, um pára-quedista em atividade.

Capítulo IV. Das Disposições Gerais e Transitórias

Art. 11º As sansões disciplinares são as postas nos estatutos do ACP e aplicadas pelo Consêlho Diretor do D. P. Albatroz, cabendo recurso à Diretoria do ACP.
Art. 12º O mandato do Consêlho Diretor de D. P. Albatroz coincidirá com o mandato dos membros da Diretoria do ACP;
Art. 13º Os casos omissos no presente Regimento Interno, serão resolvidos pelo Consêlho...

...entrará em vigor na data de sua aprovação pela Diretoria do Aero Clube do Paraná".

 

Comentários

Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar o comentário